Necessidade

Necessidade

Todas as pessoas têm o direito às suas necessidades básicas da vida. Ou seja, casa/abrigo, cuidados de saúde adequados, parentes saudáveis ​​e educação, alimentação e vestuário. Nenhum indivíduo pode ter estes direitos tirados do meio deles, independentemente das circunstâncias.

Muitos dos nossos problemas mais graves são decorrentes de uma necessidade, e elas são ainda agravadas pela tentativa de compensar esta necessidade, seja ela qual for. A forma mais básica de necessidade surge da pobreza física, a falta de alimento, abrigo, cuidados de saúde etc... que têm agravado os efeitos prejudiciais sobre um indivíduo e sua sociedade. Crimes e guerras (O último é um crime em si), surgem quase o tempo todo devido uma necessidade ou a ganância desenfreada de alguém e desejo de poder. As pessoas geralmente concordam em participar de uma guerra por causa que querem ter suas necessidades satisfeitas, ou alguém participa de atividades criminosas por essas mesmas razões.



O pesadelo catastrófico que é o "American Dream -
sonho americano" é o exemplo perfeito disso. Uma delas é a luta para cuidar de si mesmo até que magicamente "aconteça" e todas as suas necessidades sejam atendidas, sem uma única preocupação. Vemos isso que nos é apresentado pela mídia - o tempo todo e somos tentados a fazer através de subserviência ao chefe, atividades criminosas (estereótipos - Gangster Rap), e o exercício descarado de riqueza à custa de todos os outros, como é comumente encontrado nos excessivamente ricos, CEO (Chief Executive Officer), como Lloyd Blankfein, CEO da Goldman Sachs, que ajudou a causar o estouro da bolha das hipotecas e, posteriormente, destruiu a vida de centenas de milhares. E acabou roubando milhões para ele mesmo.

Esses tipos de pessoas são parasitas, roubando os salários de milhões de pessoas, sem nunca levantar um dedo ou fazer contribuições valiosas para sua sociedade para salvar algumas "causas filantrópicas" que tomam a atenção longe de sua ganância sem precedentes. Milhares de pessoas lutam pela posição de uma pessoa rica, quando poderiam ter milhares que inteligentemente trabalhando em conjunto teriam todas suas necessidades atendidas. A realidade é que apenas uma pequena porcentagem da população do mundo inteiro pode desfrutar da riqueza e do
desperdício excessivo que é apresentado às pessoas desse sonho americano. O resto de nós está "lutando, trabalhando, pagando impostos, etc...", e alimentando essas pessoas, as nossas esperanças são iscas na nossa frente como uma cenoura em uma vara.




É isto realmente que você quer viver?
Podemos fazer muito melhor do que essa democracia capitalista que não chegou nem perto de satisfazer as nossas necessidades.


Os ricos e os de classe média culpam os pobres por serem pobres, porque, aparentemente, foi através de seu próprio trabalho árduo que adquiriram suas riquezas. Bobagem. Eles sentem prazer em sua meia verdade, porque não podem aceitar a outra metade da mesma. Os pobres continuam pobres por causa dos excessivamente ricos, eles continuam pobres porque são pobres, eles não podem pagar as necessidades básicas da vida e, portanto, é impossível desenvolver-se como um indivíduo se essas necessidades básicas não são adequadamente atendidas. O sistema social, fornecendo alguma recompensa, não pode satisfazer toda as pessoas, porque é semelhante a colocar um curativo sobre uma ferida aberta. Pode protegê-la um pouco, mas finalmente ele irá torná-la muito pior. As preocupações das pessoas podem ser um pouco aliviadas pelo sistema social, mas o verdadeiro coração do problema da pobreza continua, porque as questões fundamentais não foram totalmente resolvidas. Jogar dinheiro no problema não irá resolvê-lo.


A nossa sociedade é como o Titanic, embora tenhamos a Primeira Classe, Segunda Classe e Classe Terceira, nos divertimos com o fato de que ainda estamos no Titanic - independentemente da forma como tratamos uns aos outros. A Primeira e Segunda Classes dizem
aos indigentes da Terceira Classe que devem estar felizes por estarem no navio, que este é um milagre da realização humana e que têm a sorte de serem capazes de participarem de uma viagem tão magnífica. Usamos as nossas aparentes "realizações" para justificar os maus-tratos do outro e para justificar a nossa posição: "Foi por nosso trabalho duro", dizem. Mas, agora, trabalham menos, contribuem menos, tem infrutíferos filhos e perpetuam a sua riqueza com a família. Embora o verdadeiro trabalho seja feito com o suor dessas pessoas da terceira classe, pois sem eles o Titanic não funcionaria para todos, eles foram as pá de carvão, enquanto a Primeira Classe apreciava seus bolos. Eles foram os que morreram no barco quando ele afundou, já que muitos dos botes salva-vidas foram reservados exclusivamente para os ricos e privilegiados.




Valor Monetário como troca para Jornada de Trabalho



Nós usamos o dinheiro como um método de troca pelo esforço de trabalho entre as pessoas. Quando você compra alguma coisa, seu valor é baseado no esforço de trabalho que tiveram em criar algo, enviá-lo e vendê-lo. Nós concentramos nosso poder de esforço em uma moeda, que tornou-se o nosso intermediário na troca e no comércio. Certos trabalhos, dependendo dos níveis de risco e da habilidade/esforço são pagos em troca de mais desse montante de energia que você exerceu no tipo de trabalho - pelo menos, é assim que vai para a maior parte.

Não devemos esquecer que em países do terceiro mundo, há níveis elevados de risco de habilidade e estresse, mas tem sido canalizada com trabalho de mão de obra barata. O problema existe, e essa habilidade tem sido desvalorizado pela soberania econômica deslocada através da pobreza, e, portanto, a pobreza é abusada por canalização em mão de obra barata, pois para as pessoas do terceiro mundo, é melhor do que fazer do que ficar sem nenhum dinheiro.

Idealmente, os sistemas monetários são um método de esforço como moeda de troca entre as pessoas. A questão reside, não na troca direta de moeda entre duas pessoas que tiveram um acordo quanto ao valor do que eles estão trocando. O problema é quando se torna impessoal, geralmente através de grandes interações interpessoais - ou seja, entre a Corporação e os indivíduos. No coração dessas interações interpessoais, geralmente são pessoas que têm grandes quantidades de dinheiro desproporcionais em relação ao nível médio de troca monetária entre as pessoas.


Por exemplo, um homem que ganha 45 dólares por hora para ser professor, onde trabalha para este determinado salário x número de horas, a fim de ser capaz de equilibrar o esforço e despesas, e ainda manter um certo nível de tempo livre para outros interesses. Ele vai para o mercado agrícola, onde ele adquire produtos hortícolas, a um preço que seja razoável ao agricultor, que, nas vendas a granel, também equilibra o esforço do agricultor e despesas e ainda permite-lhe o seu próprio tempo livre. Comparativamente falando, quando as pessoas do salário semelhante, então, interagem uns com os outros, geralmente na média ou média de câmbio irá equilibrar e deixar todo mundo com um nível de riqueza e conforto que é em relação ao outro sem ninguém tendo detenção de riqueza desproporcional.
Quando introduzimos o capitalismo para este nível de troca, uma pessoa que pelos seus próprios meios ou por herança, somou uma grande quantidade de riqueza que é amplamente desproporcional ao seu esforço de trabalho acaba usando isso para acumular ainda mais riqueza. O poder reside em troca. Uma troca justa é entre o seu esforço de trabalho e seus gastos, mas troca injusta começa quando o seu rendimento torna-se grandemente desproporcional ao seu esforço de trabalho médio. Duas pessoas de talentos relativamente iguais, exemplo de dois professores, ganham dois salários diferentes - um ganha 50 mil por ano e o outro ganha 150 mil por ano. Independentemente disso, os professores são colocados na mesma quantidade de esforço e exibem níveis semelhantes de habilidade e talento, mas alguém decidiu pagar um professor mais e o outro menos. As razões podem ser inúmeras, mas para simplificar vamos dizer que é um motivo pessoal, um professor é um amigo de família enquanto o outro não é, e que esta é uma escola particular. O trabalho é desvalorizado, porque alguém pode trocar muito mais coisas com o mesmo nível de esforço, trabalho e habilidade envolvida.



Esta é a questão-chave do capitalismo, onde uma pessoa que faz menos esforço de trabalho do que a média ou faz o mesmo esforço, tal como definido pelo povo, ganha salários astronomicamente maiores que a população. Isso permite que este indivíduo, então, realize uma grande quantidade de poder através do formulário de troca desproporcionais ao seu esforço de trabalho e os esforços de trabalho de outros. O indivíduo pode trocar muito mais do que alguma outra pessoa que contribui com a mesma quantidade de esforço de trabalho, independentemente da habilidade da pessoa ou talento. O poder do indivíduo pode superar o poder do governo, mais uma vez através do método de troca. Você pode comprar o trabalho e dedicar-lo para seus próprios interesses, independentemente da troca equitativa em termos de esforço de trabalho. Isso produz uma pessoa que contribui com menos, mas detém mais poder através da renda e da troca e recebe um grande volume de renda através deste nível desequilibrado e desproporcional de troca/cambio.

Embora uma pessoa possa ter um salário razoavelmente grande, pelos méritos de seus próprios esforços, novamente chega um ponto em que o esforço de troca atinge o seu limite teórico e o salário torna-se desproporcional à contribuição. Os ultra-ricos tentam equilibrar isso através de Filantropia, através do financiamento de uma organização de caridade para abordar algumas questões-chave, mas o problema ainda ocorre devido algumas pessoas que seguram quantias desproporcionais da força por salário. A raiz da anomalia é que eles ainda podem trocar a moeda para o esforço de trabalho, embora sua força de trabalho seja mínima em comparação com seus ganhos, para que esses ganhos sejam muito maiores em comparação com o salário de todos os outros. O esforço da maioria das pessoas no trabalho é extremamente desproporcional aos seus rendimentos, ou seja, colocam mais esforço do que recebem em troca. O cerne dessa questão, é paralela à questão que algumas pessoas têm níveis desproporcionalmente grandes de riquezas em relação ao seu esforço de trabalho e contribuições. Uma pessoa faz um milhão de dólares por apenas levantar um dedo ou esperar três minutos para suas ações aumentarem versus uma pessoa que ganha R $ 80 para trabalhar o dia inteiro.
Ambas têm suas raízes nos níveis de riqueza desproporcionais ao trabalho/esforço e sua resolução é uma nova legislação, com base em um sistema de valores onde o nível de habilidade e talento, esforço de trabalho e contribuição coletiva como meio de ganhar a vida, iria proporcionalmente premiar os esforços de trabalho e talentos de uma pessoa.

Em vez de impérios econômicos com os autocratas self-made na frente, você tem um sistema meritocrático que equilibra troca com o esforço de trabalho, limitando a quantidade que uma pessoa pode ganhar, a definição de um salário mínimo de verdade, onde pode-se viver em um verdadeiro conforto e ter um salário máximo. O salário máximo deveria ser determinado, pela quantidade de esforços que um impacto direto de um trabalho pode ter sobre o resto da sociedade. Tenha em mente, isso é diferente de quando se empunha uma grande quantidade de riqueza e, portanto, de troca, que lhes permite ter uma vasta quantidade de poder e influência. Fica implícito que há um certo limite de influência que alguem com reais habilidades, talentos e esforços pode ter sobre a sociedade. Da Vinci, embora seja um gênio extraordinário, apenas pode contribuir individualmente, como ele é fisicamente e mentalmente capaz. Apesar de suas invenções que tiveram grandes impactos sobre nós através das gerações, foi o que uma única pessoa pode fazer - e, portanto, pode ser aproximado que o quanto se ganha pode ser relativo ao quanto você pode realmente contribuir.
Portanto, deve-se determinar o valor da moeda em troca do esforço de trabalho. Este valor está longe do preço das ações inter-relacionadas do euro / dólar, e assim por diante, mas ainda é relativa às moedas variáveis, através de quanto valor tem esta moeda em relação ao trabalho de esforço. Assim, vamos utilizar o dólar como um exemplo disso, a fim de determinar o esforço de trabalho, devemos compará-lo com trocas de informações, e neste caso é de consumo versus esforço, através de recursos.

A equação é:

Valor =  Esforço dividido pelo Consumo (esforço contributivo = trabalho, esforço, talentos e grau de habilidade)

Então, digamos que suas necessidades físicas ditam que você precisa de alimentos e dizem que esse alimento também tem que ser orgânico, sem agrotóxicos, não geneticamente modificados e tão naturais quanto possível, a fim de maximizar a saúde da pessoa. Idealmente, nós podemos assumir que este é o padrão mínimo de culturas alimentares (Na realidade, esta é a melhor qualidade que pode começar agora). Seu outras necessidades físicas também ditam a necessidade de cuidados médicos, moradia, vestuário e seu tempo de lazer. Cuidados com a Saúde, Habitação e Vestuário são relativos ao tempo que leva para alguém checar a sua saúde, construir e gerir a sua casa, e criar suas roupas. O valor destes é determinado também pelo esforço de trabalho, e sua exigência de satisfação das suas necessidades básicas.

Outro fator a considerar é também a duração da jornada de trabalho, e sua relação com o seu nível de conforto e bem estar. Antes, era de 12 horas, hoje é de 8 horas, mas o ideal seria a jornada de trabalho ter entre 4 e 6 horas, pois maximiza o
bem-estar psicológico e fisiológico.


Num sistema socialista (que também não é a solução) como a Suécia, o governo nacionalizou sua saúde, juntamente com certos aspectos de abrigo e outras necessidades pessoais, aumentando o seu valor e sua inclusão na alíquota de suas compras. Mas neste caso, estamos determinando o valor de um dólar ao Esforço e Consumo de quanto você precisa, a fim de equilibrar os dois, mantendo a renda extra para determinar a sua escolha pessoal de vida e de sua própria busca da felicidade. Qualquer pessoa que realmente pondera em seguida, o valor de um dólar em relação ao esforço e consumo será preso se perguntando qual é o valor? Bem, é isso mesmo. O valor é relativo.


Atualmente, o valor do dólar é (idealmente, não realista), determinado pelo PIB, a receita bruta das pessoas e por quanto dinheiro existe em relação a todos os outros. Se todo mundo fizer um milhão de dólares por ano, então os milhões de dólares será inflacionado, uma vez que ninguém poderá realmente sair por aí comprando tudo o que quer sem fazer qualquer trabalho. Alguns argumentam que o espectro dos níveis de rendimento na verdade, cria uma economia estável, mantendo a inflação sob controle. Enquanto esta é uma presunção correcta, tampando as taxas de rendimento efetivamente, retém mais estabilidade e impede a inflação, determinando que todo mundo fica num verdadeiro nível de mínimo de conforto e também determina um nível máximo de rendimento em relação ao seu limite de contribuição.

Os excessivamente ricos e os pobres, ambos seriam eliminados neste modelo econômico, redistribuindo os níveis de renda de acordo com o mérito. Hoje, a inflação / deflação de uma moeda pode ser determinada pela quantidade de dinheiro que um banco central imprimiu, ou quanto dinheiro ele destruio.

Agora vamos olhar para o novo modelo:

Podemos fixar novamente a soma de dinheiro, na verdade, determinar o que o rendimento mínimo e a renda máxima seria com base neste novo modelo.

Multiplicamos a população (6,5 bilhões) até o
rendimento máximo (1 milhão) e, portanto, temos a quantidade total de dinheiro que existiria no mundo. 6.5e15... de dólares existe, essa quantidade de dinheiro que agora é finita e definida. Pode aumentar ou diminuir com base em quantas pessoas existem, então a quantidade de dinheiro está sempre em relação à população. Agora vamos ter o rendimento mínimo (50.000) e multiplicar isso por 6,5 bilhões, nós temos 3.25e14 dólares que teoricamente estaram todos em uso num determinado momento - o resto do dinheiro que existe é potencial de ganhos que uma pessoa pode fazer com base em seu esforço de trabalho e talentos - o aumento da renda é determinada e aproximada, para estar sempre em relação à sua inteligência, talento e seu nível de habilidade subseqüente, o esforço do trabalho e o contributo coletivo / influência positiva de uma pessoa em sua sociedade. Em teoria, então, 6.5e15 de dólares é o montante máximo de dinheiro que existe, mas não é tudo na existência, em determinado momento.

Observe também que, mesmo que toda a sociedade atinga o
rendimento máximo, maximizando seus talentos e contribuições, a renda máxima passa a ser a média de renda novamente e reinicia o processo. O ápice de todos os esforços e conquistas de uma geração é sempre a base do talento e potencial da próxima geração. Evolução ad infinitum.

(Note que estes valores são determinados pelo valor atual do dólar em relação ao poder de compra)


O rendimento mínimo de 50.000 realmente determina o valor real do dólar, porque a renda mínima é feita para ser totalmente proporcional a uma pessoa cujo esforço mínimo, tenha suas necessidades básicas e confortos atendidos. O esforço da pessoa, é sua força de trabalho, e onde / no que eles trabalham será determinado por seus talentos inerentes e que serão cultivados por meio da educação e interação.


Dinheiro / esforço de trabalho:


Quanto custa uma alimentação saudável e nutritiva? Sabemos do fato que o empobrecimento do solo
resulta em comidas menos nutritivas. Mesmo se você está comendo legumes frescos, se foram cultivados em solo empobrecido, você não vai ter o mesmo nível de nutrientes, naturalmente você iria querer comer vegetais de um solo rico e naturalmente férteis.
No modelo econômico de hoje, eles reduzem os custos de algo, maximizando o quanto dele é produzido e minimizando o esforço do trabalho para que resulte nele. Por exemplo, quando nós plantamos Beterrabas, pagamos para tê-los OGM (geneticamente modificados) no qual resulta no crescimento de milhares e milhares de hectares dessa
única cultura. Este processo, não só polue o solo excessivamente com organismos modificados e agrotóxicos, mas também reduz a fertilidade natural do solo por não deixar a natureza seguir seu curso natural (Decay e micro-organismos, Biodiversidade). Nós todos sabemos que em um habitat de biodiversidade, há muito mais nutrientes presentes no solo - e nós não aprendemos como manter a terra, enquanto continuam a viver fora dela, ou melhor, nos esquecemos de como fazer.

Tão logo as pessoas começam a ter em conta o nosso lugar neste planeta e começam a respeitar a nossa relação com a Terra, percebemos que não podemos ter mais culturas agrícolas, que reduzem grandes quantidades de árvores e florestas desmatadando-as, que abrem grandes buracos em montanhas para algumas minas de ferro e assim por diante. Agora, há mais
ferro fabricado do que o suficiente na perpetuidade de que nunca precisaria de uma mina de ferro novamente - mas isso não acontece, porque dá dinheiro. Nosso sistema de valor é separado de qualquer valor real.

Nós já vimos o preço de alimentos mais naturais subir, porque ainda existem grandes quantidades de massa produzindo alimentos nutricionalmente deficientes que são mais atraentes para a população devido ao fato de que estes alimentos são muito mais acessíveis - mas não são economicamente nem ambientalmente viáveis, a longo prazo.

Finalmente, a melhor maneira de garantir a sua qualidade própria de comida é criar seu próprio adubo e fazer crescer seu próprio alimento - você não iria acreditar o quanto isso reduz a pressão sobre o meio ambiente.

Do ponto de vista do consumidor, que leva cerca de US $ 20 por dia para alimentar uma pessoa "saudável", e se essa pessoa come alimentos take-out regularmente, então, cerca de 30 dólares por dia.
Se eu trabalhar por um salário mínimo, iria levar de 3-4 horas de trabalho apenas para pagar a minha comida! Deixaria as outras necessidades de lado - agora estamos começando a ver o absurdo da pobreza. Isso não deve levá-lo a metade do dia de trabalho para pagar por alimentos de qualidade, muito menos metade de sua vida para pagar uma educação de qualidade - estas coisas devem ser previstas, independentemente, a fim de facilitar a melhor qualidade para desenvolver pessoas inteligentes.

Imagine o que a humanidade seria capaz após gerações? Pessoas com a base da inteligência e do talento de polímatas, que problemas não poderíamos resolver? O modelo meritocrático financeiro é apenas o primeiro passo para um sistema baseado em recursos que resultaria no fim do dinheiro, ele se tornaria uma coisa do passado. Depois que todo mundo tivesse um alto nível de inteligência, suas necessidades atendidas e seus talentos cultivados, a desigualdade monetária torna-se realmente sem sentido. Você acha que um grupo de pessoas inteligentes, iriam sentar e não fazer nada para o resto de suas vidas, porque suas necessidades estão satisfeitas? Isso ocorre só quando você não sabe o que fazer com sua vida.

A maioria das pessoas não pode pagar o que é bom para eles, que seus corpos e mentes necessitam para funcionar no seu melhor. Nós recorremos a comer alimentos de qualidade inferior e por sua vez entorpecem a nossa capacidade de pensar e raciocinar - que são deixadas como conchas vazias na cabeça. Quanto menor a qualidade do alimento que você come, menos chances você tem de criar uma idéia de gênio ou solução para um problema. Você simplesmente não têm energia, sem falar no poder do cérebro.


Esta é uma das muitas maneiras que os pobres são mantidos perpetuamente pobres por muito tempo, as coisas que eles precisam para realmente fortalecerem-se como pessoas inteligentes são completamente inexistentes e isso, por sua vez perpetua a pobreza e a criminalidade.



Será que alguma pessoa iria cometer crimes depois de ter tido todas as suas necessidades básicas previstas na forma que for melhor para eles, qual seria o sentido de cometer um crime?
Crime torna-se realmente um desperdício de tempo e esforço, pois você pode começar tudo de uma maneira muito mais saudável e satisfatória.
Quem vai estar vendendo drogas na rua para que eles possam alimentar suas famílias, quando suas famílias já estão alimentadas e as crianças estão matriculadas em um programa de educação de qualidade?
A lógica com que trabalhamos hoje, é a completa ausência de lógica, que funciona apenas com emoções e reações, porque para muitos nunca foi ensinado nada além disso. As pessoas não olham para algo melhor, porque eles não conhecem a possibilidade de algo melhor, achamos que estamos melhores do que as nações do passado, que evoluimos, mas nós mesmos temos demonstrado barbárie que ultrapassa os
atos belicistas de todos os velhos generais e conquistadores da história.
Eficiência e igualdade não são rentáveis, através da qual as margens de corporações e governos corruptos são capazes de operar, nenhuma empresa grande pode pagar 100% de eficiência, porque, pela sua natureza, estas grandes construções são destinadas a produzir ineficiência e desigualdade, a fim de gerar o máximo de lucros para seus acionistas e executivos.


A lógica do núcleo de uma sociedade capitalista é que, sem sofrimento e injustiça, você não tem nada na vida. Afinal a vida é assim...


Este é um dos pressupostos mais chocantes que qualquer pessoa pode fazer, e nenhuma pessoa que faz essa presunção deve ser qualificado como sã ou inteligente. No mínimo, são extremamente mal informados. O produto deste tipo de mentalidade tem sido a busca excessiva do materialismo e da causa exata que é a falta de necessidade. As pessoas nunca tem fornecido o que eles precisam, assim colocam em todos os seus esforços para obter o melhor conforto que eles podem possivelmente ter e, em seguida, passam isso aos seus filhos na esperança de que eles tenham uma oportunidade melhor. Isto tem levado à degradação intelectual da sociedade, nosso foco tem que ser de ganho material por medo de falta - ele não tem que ser desse jeito e ele não deveria ter que ser dessa maneira. O raciocínio desse tipo leva as pessoas a acreditarem que o capitalismo é meritocrático, quando na verdade há uma grande porcentagem de pessoas completamente privadas de oportunidades e para alguém subir, alguém deve cair - só pode haver algumas pessoas excessivamente ricas no mundo, e a maioria de nós teria de permanecer pobre para que essas pessoas possam desfrutar de suas
ridículas indulgências.

Concluindo:


Tecnologia e inovação na agricultura, juntamente com o ensino meritocrático e condições equitativas para as pessoas começarem a criar a base para um nível superior de cultura. O objetivo será o de atividade intelectual, espiritual e inovadora. Qualquer pessoa que entende a capacidade dos seres humanos inteligentes para interagir, não vai tolerar a existência deste sistema nem um segundo mais. Nós exigimos uma mudança real, pois sabemos o que pode realmente acontecer, e nós certamente não estaremos esperando que o Obama ou outro presidente faça este tipo de mudança (Afinal, a mudança só iria tirar beneficios deles que são a minoria mundial, e traria beneficios a todos, para uma evolução intelectual extraordinária).

Uma sociedade de pessoas inteligentes não vai comprometer-se a preguiça e apatia, que só atrasa a evolução da vida, pois não há iniqüidade, e não tem sofrimento
humano desnecessário. Isso irá proporcionar o ambiente saudável para um indivíduo com poderes para crescer, a educação vai moldá-los de acordo com suas necessidades individuais e ajudar a desenvolverem sua inteligência. Quando trouxermos o padrão da nossa sociedade, a unidade não vai desaparecer, vai transformar-se. Imagine ter a habilidade de pintar um quadro sempre que lhe apetecer, ou ser chamado para um projeto de construção de um novo templo ou obra de arte. Nós teremos um renascimento da criatividade e da inovação, uma vez que as pessoas são educadas inteiramente, vão querer fazer algo com suas vidas - é inevitável que eles façam, e obrigatório por natureza - a natureza em canalização que as qualidades nobres dos seres humanos através de meios inteligentes irá produzir as maiores obras da realização humana e realização coletiva. A humanidade tem feito em pequenas quantidades e muitas vezes na individualidade obras de gênio, então imagine o que isto seria se fosse em massa?

"Quando o foco não é a sobrevivência, o foco volta-se para outra coisa. Cabe à inteligência da pessoa decidir o que é a outra coisa."

Não é hora de sairmos do Titanic afundado e abraçarmos algo novo?




Fonte-parceria: The Movement
Tradução: Pax Deum

2 comentários:

  1. Tudo fez muito sentido e foi muito louvável!Não sou miserável,Riquissímo e já nem me considero mais classe média ,porque essa "já era" ´,mas é muito nocense acreditar não existir mais criminosos por estarem satifeitos suas "necessidades"! E o pobre? É preciso neste século cursar uma faculdade ou ser ensinado pelos governos que não se deve ter filhos como "coelhos", que deveriam ser educados e não "criados",bichos e que se cria, concorda!Dizer que o planeta suporta tudo isso apenas se não houver milionários é uma crença estapafúrdia, principalmente desconhecendo a pequena consciência humana.E isso não é de ouvir dizer não".É experiência do dia a dia com essa casta de pensamentos pequenos e acomodados como a maioria humana!É totalmente, indisfarsavelmente utópico! Vamos ter que encontrar outro jeito OK! rs....

    ResponderExcluir
  2. Olá Leone, o problema da humanidade é o egoísmo... em breve a seção "Meritocracia" estara pronta e lá mostrarei como a criminalidade iria ser extinta, esta foi apenas uma introdução para diversos outros textos que irei postar.
    Posso me considerar rico, e poderia estar gastando meu dinheiro a vontade para meu bem próprio e nem ligar para os pobres e para a sociedade, afinal minha vida esta feita, mas não penso assim e não concordo com a sociedade atual, mesmo que para isso eu mesmo perderia parte de minha riqueza... busco um bem maior, um bem onde todos possam ter vidas boas e conseguirem desenvolver-se como indivíduos.
    o problema é a "pirâmide", mas não o símbolo illuminati que significa outra coisa, mas sim a pirâmide onde os mais ricos estão no topo e os mais probres estão embaixo, a mesma pirâmide vista na nota de um dólar, que não tem NADA a ver com os illuminati...
    Na sua questão sobre os milionários, relamente poderia ter algum outro modo de ter um mundo melhor, mas quem ta no topo não se importa realmente com quem esta embaixo, por isso nada nunca vai mudar, o tempo é a prova mais concreta que existe, pois séculos passaram e nada mudou se for analisado.

    em breve continuarei a divulgação de informações.

    abraços.

    ResponderExcluir